Memórias de Resistência

Belo Horizonte ganha guia “Memórias de Resistência” em alusão aos 50 anos da ditadura militar

Foi lançado ontem, o guia “Memórias de Resistência – lugares de repressão e de luta contra a Ditadura Militar de 1964 a 1985, em Belo Horizonte”. Elaborado pela Belotur, a publicação traz o conceito do turismo urbano contemporâneo, que inclui, entre os roteiros de destinos, os lugares de memória.

“Este guia é um importante documento que destaca os locais, edifícios e monumentos onde ocorreram fatos significativos da história da cidade durante o período da repressão. É uma contribuição para que o turista e o morador possam ter um olhar diferenciado sobre o nosso espaço urbano e uma referência para manter viva a história de Belo Horizonte e do Brasil”, disse.

Lugares como os edifícios Acaiaca e Maletta, a Universidade Federal de Minas Gerais, a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG (Fafich), o DOPS, o Teatro Marília, dentre outros locais, são mostrados como lugares de repressão e resistência. O material será destinado às universidades, bibliotecas, postos de informação turística e pessoas interessadas no tema.

O guia - “Memórias de Resistência” é um roteiro com 27 locais de repressão e resistência à ditadura militar de 1964-1985 em Belo Horizonte. O guia é uma celebração do papel dos mineiros - sobretudo dos estudantes - na reação ao regime de terror consolidado pelo golpe que derrubou o presidente João Goulart e uma contribuição para a consolidação dos ideais de democracia dos 58 mineiros que deram sua juventude e sua vida no combate ao autoritarismo e à repressão de Estado.

Faça o download do Guia Memórias de Resistência.