Menina do Céu, não é que isso virou forró?!

tags

Izabella Brant, vocalista do Menina dao Céu (Foto:www.meninadoceu.com.br)
Izabella Brant, vocalista do Menina dao Céu (Foto:www.meninadoceu.com.br)
Um ritmo que se dança a dois, ao som do triângulo, da sanfona e da zabumba. Uma banda que teve seu nome escolhido pelo dono de um trailer de sanduíche e pelos seus integrantes, que têm uma história em comum: amigos, irmãos e uma pitadinha de canto lírico. Assim se define a banda de forró Menina do Céu. Izabella Brant, vocalista, Theo, Túlio, Matheus e Marcelo se juntaram em BH para ganhar os palcos do forró. “Engraçado, porque não é uma música típica do sudeste, veio do nordeste, mas aqui, em Belo Horizonte, tem uma grande força. O forró encontrou o seu lugar aqui, foi muito bem acolhido. As pessoas saem para dançar em um ambiente tranquilo, não encontramos confusão. Todos os tipos de música têm seu espaço em BH”, comenta Izabella.

Antes de entrar para a banda, a vocalista fez canto lírico no Palácio das Artes. “Foi tudo por acaso. Eu estudei canto lírico mais de 15 anos e acho que é igual andar de bicicleta. Quando você aprende não esquece mais. Um dia, resolvi dar uma canja em um show de um amigo e deu certo. O pessoal falou que podia dar um samba, mas deu forró”, conta. “Começamos a nos apresentar em um lugar tradicional, o Recanto da Seresta, em Santa Tereza, e o sucesso apareceu”, completa.

O nome "Menina do Céu" veio com uma ajuda especial. Segundo Izabella, o grupo passou dias pensando em um nome, mas nada. "Um dia antes da estreia, eu e o Theo fomos comer um sanduíche, depois de um show, no trailer do Baiano, um amigo nosso. Cheguei lá e pedi a ele uma sugestão de nome, pois já estávamos desesperados. Ele então virou para nós e disse: 'Menina do céu, sabe que eu não sei!'. E foi assim que o nome surgiu.”

A partir daí o primeiro público a ser conquistado foram os universitários belo-horizontinos. “Em Belo Horizonte, a música é muito bem recebida, onde quer que seja. Fazemos o forró, mas acaba que abrimos um pouco o leque. A música brasileira é tão rica, que ficar só no forró é até injustiça com os outros ritmos. Como sempre há espaço, tocamos um pouquinho de tudo”. Além do forró, Izabella canta rock, MPB e até ópera. “A escolha do repertório da banda vai desde novas composições, canções de outros artistas que a gente toca e que o público gosta. É um balaio, uma misturinha”.

Menina do Céu (Foto: www.meninadoceu.com.br)
Menina do Céu (Foto: www.meninadoceu.com.br)
Amor por BH

Apesar de ser carioca, a vocalista faz questão de levar o nome de BH por onde vai. alar sobre BH é muito fácil. Sempre tive um pezinho em Minas, por causa da família de minha mãe. Belo Horizonte tem um jeitinho de casa de vó. Sabe aqueles lugares que acolhem bem a gente, com comidinhas gostosas, com boas histórias? Mineiro é muito receptivo, faz questão de mostrar a cidade onde mora. É uma gracinha”.

leia mais sobre

CASAS DE FORRÓ

 

- Forró do observatório: Localizado em um dos pontos mais altos da cidade, é um dos locais mais procurados pelos ... Clique aqui para ler mais sobre.

leia mais sobre

CASAS DE FORRÓ

 

- Forró do observatório: Localizado em um dos pontos mais altos da cidade, é um dos locais mais procurados pelos forrozeiros aos domingos. Detalhe para a vista panorâmica da capital.

- Espaço Brasil: Casa de dança que durante a semana é uma academia e aos domingos se transforma em casa de forró. O piso é feito de madeira, que ajuda na dança. 

- Flashback: Uma das casas de forró mais tradicionais, localizada na Avenida do Contorno. O forró acontece sempre nas sextas-feiras e o número de frequentadores é grande todas as semanas.

- Forró do Baú: Casa de forró que abre sempre as quartas-feiras e tem shows ao vivo aos domingos.

- Hard Rock Café: Promove shows ao vivo de forró durante os fins de semana. A casa tem um grande espaço, o que facilita para quem quer dançar.

- Cervejaria Oficial: Casa de dança localizada no bairro Prado. O forró é sempre nas terças-feiras e o público do local é cativo.

- Pé Descalço: Academia de dança que se torna casa de forró todas as sextas feiras.

- Recanto da seresta: Um local tradicional entre os forrozeiros. O lugar já serviu de palco para bandas como Menina do Céu e Trio Dona Zefa. É localizado em um sobrado, na Praça de Santa Tereza, possui uma rústica decoração.

-Utópica marcenaria: casa de shows. O forró acontece sempre aos domingos e o público se divide com o público do Observatório, já que é sempre no mesmo horário.

-Ziriguidun: uma das casas mais antigas da capital mineira. Foi fundada pelo primeiro DJ que começou com o forró em BH: Eduardo Azevedo.

 

Mais informações: www.bhforro.com.br