O Jazz ocupa um lugar especial em BH

tags
Praças, bares e casas de shows viram palco para os diversos festivais de jazz na capital

Estilo musical vindo dos Estados Unidos, o jazz tem seu espaço em meio à diversidade cultural presente em Belo Horizonte. O que não falta na capital mineira são espaços para os músicos e os amantes do bom e velho jazz ouvirem e tocarem os mais belos clássicos desse estilo musical.

Um dos primeiros acordes de jazz foi tocado no início do século XX, na cidade de Nova Orleans, EUA, um lugar que respira cultura, assim como Belo Horizonte. Nomes como Louis Armstrong e o genial Miles Davis revolucionaram o movimento jazz com seus trompetes inconfundíveis.

Onde entra o jazz na cultura mineira?


Nos últimos anos a capital mineira tem realizado inúmeros festivais de jazz em praças, bares e nas grandes casas de espetáculos, com um alto nível de aceitação. Isso comprova que os belo-horizontinos apreciam a sonoridade e o ritmo sincopados da música moderna originada da cultura negra norte-americana.

Um dos eventos mais aguardados é o "I Love Jazz”. Focado sempre no jazz tradicional, o festival apresenta atrações internacionais e nacionais. BH está incluída nesse evento que pretende popularizar o jazz em todo o Brasil com shows gratuitos em praças públicas.

O festival já contou com estrelas, como Ron Carter, Bucky Pizzarelli e Madeleine Peyroux. “Nossa ideia é fazer um festival que tenha a participação popular de forma ativa e um intercâmbio musical entre artistas brasileiros e internacionais”, comenta o músico e idealizador do festival Marcelo Costa.

Outro evento muito apreciado pelos belo-horizontinos é o "BH Jazz". O evento sempre promove apresentações internacionais, mas nunca se esquece dos artistas nacionais. Uma das marcas do festival está na realização das edições em praças públicas, como a Praça da Liberdade. 

Grandes nomes nacionais e internacionais já marcaram presenç,a como Victor Brooks, Julie Mcknight, Glen David Andrews, Túlio Mourão, Léo Gandelman e a banda Jazz a Zero.

Formação musical e jazzística nos bares da vida

BH também se alimenta desse universo artístico com músicos renomados. Alguns exemplos são Toninho Horta, ícone da guitarra jazzística internacional; Chico Amaral, compositor e saxofonista; Juarez Moreira e Celso Moreira, violonistas; Beto Lopes, instrumentista e compositor – muito conhecido por suas parcerias com a Banda Skank – e o baixista e pianista Enéias Xavier. O time de grandes músicos revela a força de Minas no estilo.

Quer saber mais sobre jazz?

Procure ouvir um pouco de jazz, essa é sem dúvida a melhor maneira de aprender sobre esse gênero musical tão mágico e contagiante. Para isso selecionamos uma lista com os dez maiores nomes desse estilo: Louis Armstrong, Duke Ellington, Billie Holiday, Charlie Parker, Art Blakey, Charles Mingus, Thelonious Monk, Miles Davis, John Coltrane e Ornette Coleman.