Exposição: ELIPSE pinturas

Vivas Almeida

Data: de 19.05.2018 até 19.06.2018

Local: Rua Lima Duarte, 158, Carlos Prates.

Elipse reúne pinturas de 17 artistas, nascidos em Minas Gerais entre 1900 e 1983. Todos tiveram ou ainda têm vínculo com a Escola Guignard, como professores ou alunos. A exceção é Lorenzato, de quem a escola possui obras no Acervo Artístico, origem da ideia desta exposição. Dela participam Castaño, Desali, Fátima Pena, Gabriela Rosa, Humberto Guimarães, Inimá, Liliane Dardot, Lorenzato, Niura Bellavinha, Patrícia Leite, Paulo Amaral, Pedro Augusto, Ricardo Homen, Rômulo Bruzzi, Sílvia de Assis, Tatiana Cavinato e Wolney. Elipse não pretende ser uma mostra historicista, regional ou canônica e, deliberadamente, evita a noção de expografia, que tantas vezes se impõe sobre o que está sendo exposto. Busca respeitar a individualidade e o caráter de cada pintura e propiciar um encontro sem intermediários com o espectador. Como figura geométrica, a elipse se desenha ao redor de dois centros. Pode-se pensar, sem muito esforço, nos polos gravitacionais de grande parte da pintura brasileira: o expressionista e o construtivista e num sem número de impulsos transitivos e fluidos entre estes; entre a memória de Alberto da Veiga no amanhecer do Parque Municipal e o sonh0 de Amílcar Augusto de
uma outra escola no terreno de seis hectares da Vila Tupy.

Paulo Amaral, maio de 2018
 
Abertura da Exposição: 19 de maio, sábado, das 11h às 17h
Visitação: de 20 de maio até dia 19 de junho
Segunda a sexta, 10h às 19h e sábado das 10h às 14h

Telefone: 31 3411 1012


Alguns eventos deste espaço:

25.04.2019

Espetáculos “Olhos Meus” e “Lágrimas da Floresta”

O que resta do movimento dançante se retirarmos a sua visibilidade? Como criar outros visíveis, outros caminhos cinestésicos, outros territórios de produções de sentidos sem o uso dos olhos? O que...

25.04.2019

Espetáculos “Olhos Meus” e “Lágrimas da Floresta”

O que resta do movimento dançante se retirarmos a sua visibilidade? Como criar outros visíveis, outros caminhos cinestésicos, outros territórios de produções de sentidos sem o uso dos olhos? O que...