Mural Templuz: Obra "União"

Lucas Rafael

Data: de 07.05.2018 até 18.06.2018

Local: Av. Nossa Senhora do Carmo, 1150, Sion

Em maio, o Mural Templuz, localizado na avenida Nossa Senhora do Carmo, na zona Sul de Belo Horizonte, recebe a obra “União”, do fotógrafo paulista Lucas Rafael. A imagem escolhida mostra a vivência e os costumes de determinadas famílias que, mesmo em pleno século XXI, ainda vivem em condições precárias.
“As fotografias visam elevá-las a um grau de dignidade social ao qual nunca imaginaram”, explica Lucas. Com apenas 20 anos, o técnico em processos fotográficos começou a fotografar em 2014, quando iniciou os estudos na área. Lucas se dedica a projetos autorais ligados à fotografia documental e contemporânea.
Localizado em uma das avenidas mais movimentadas de Belo Horizonte (MG), por onde passam mais de 100 mil carros por dia, o Mural Templuz tem por objetivo democratizar o acesso à arte e colocar um pouco mais de cor na rotina corrida da capital mineira. Desde sua criação, em 2011, mais de 70 artistas nacionais e internacionais tiveram seus trabalhos expostos.
 
Sobre o Mural Templuz
O paredão de seis metros de altura onde as obras são instaladas pertence à Templuz, do Grupo Loja Elétrica. Para serem adequadas ao espaço, as obras originais são redimensionadas por meio de plotagem e instaladas por uma equipe de rapel. O serviço é realizado pela Hiper Graphic Digital.
 
Sobre a Templuz
A Templuz é uma empresa pertencente ao Grupo Loja Elétrica, maior conglomerado no segmento de material elétrico e telecomunicações no Brasil. Dedica-se à integração de tecnologias disponíveis para o conforto e bem-estar das pessoas, com foco em iluminação decorativa, iluminação técnica e sistemas de automação.
 
Horário: diariamente, todos os horários

Email: richard@hipertextoweb.com.br

Entrada Franca


Alguns eventos deste espaço:

25.04.2019

Espetáculos “Olhos Meus” e “Lágrimas da Floresta”

O que resta do movimento dançante se retirarmos a sua visibilidade? Como criar outros visíveis, outros caminhos cinestésicos, outros territórios de produções de sentidos sem o uso dos olhos? O que...

25.04.2019

Espetáculos “Olhos Meus” e “Lágrimas da Floresta”

O que resta do movimento dançante se retirarmos a sua visibilidade? Como criar outros visíveis, outros caminhos cinestésicos, outros territórios de produções de sentidos sem o uso dos olhos? O que...