Entre contrastes e descobertas

Divulgação

Data: de 14.06.2018 até 15.06.2018

Local: Sala Minas Gerais

Stilian Kirov, regente convidado
Steven Osborne, piano
| Allegro
| Vivace
 
BEETHOVEN - Abertura Coriolano, op. 62
MOZART - Concerto para piano nº 12 em Lá maior, K. 414
RESPIGHI - Os pássaros
HINDEMITH - Sinfonia “Matias, o pintor”
 
Datas: 14 e 15 de Junho às 20:30.

STILIAN KIROV, REGENTE CONVIDADO
Recém-nomeado Diretor Artístico da Orquestra Filarmônica de Illinois, Stilian Kirov venceu o primeiro lugar do Debut Berlin em 2017 e conquistou diversos outros prêmios de regência ao redor do mundo, incluindo uma menção na Malko Competition e um Emmy para o Soundtrack Project da Sinfônica de Memphis. É reconhecido também por ser um educador entusiasmado e pelo diálogo próximo com a comunidade, tendo atuado como Regente Associado da Sinfônica de Seattle e da Sinfônica de Memphis. Kirov esteve à frente de importantes orquestras na Europa e participou de masterclasses com maestros de renome, como Kurt Masur e Michael Tilson Thomas. Estudou na Academia de Regência de Aspen e foi bolsista em regência no Tanglewood Music Center. Seu mestrado em regência foi defendido na École Normale de Musique de Paris, onde estudou com Dominique Rouits. Atualmente, é também Diretor Artístico das Sinfônica de Bakersfield, na Califórnia, e da Symphony in C de Nova Jersey.
 
STEVEN OSBORNE, PIANO
Steven Osborne é um renomado pianista escocês, eleito instrumentista do ano pela Royal Philarmonic Society em 2013 e vencedor de dois Gramophone Awards por gravações de obras de Britten para piano e orquestra e de peças solo de Prokofiev e Mussorgsky. Já se apresentou com grandes orquestras em todo o mundo, incluindo visitas recentes à Sinfônica Alemã em Berlim e à Mozarteum de Salzburgo. Trabalha regularmente com as mais importantes orquestras britânicas, como a Filarmônica de Londres e a Sinfônica da BBC. Desde 1998, é artista contratado da Hyperion Records, selo com o qual lançou 25 discos, abrangendo um amplo repertório, que inclui Beethoven, Schubert, Debussy, Ravel, Liszt e Stravinsky. Atualmente, Osborne é professor visitante da Royal Academy of Music, um dos mais tradicionais conservatórios da Grã-Bretanha.

http://www.filarmonica.art.br