Gastronomia

Acervo Abrasel (Foto: Eugênio Gurgel) DESCUBRA NOSSA CULINÁRIA

Das quitandas mais tradicionais à alta gastronomia, dos petiscos de boteco à fartura dos almoços em fogão a lenha, a culinária belo-horizontina ultrapassou fronteiras e agrada os paladares mais sofisticados. A capital foi o segundo destino brasileiro mais bem avaliado por sua gastronomia pelos turistas estrangeiros que visitaram o Brasil em 2016 e 2017 (Ministério do Turismo) e conta com um leque de opções diversificado o bastante para ganhar de vez o coração de quem vem dos quatro cantos do Brasil e do mundo.

Nossa oferta gastronômica se diferencia não só pela história, tradição e diversidade, mas também por transformar o ato de comer em uma experiência singular. Quando você se sentar a uma mesa aqui, não espere apenas o que vai agradar ao paladar. Não espere o óbvio. O prazer da mesa em Belo Horizonte está atrelado ao prazer de ser bem recebido.

Você não vai apenas experimentar os melhores torresmo e pão de queijo do Brasil, mas também conhecer sabores criados pelo nosso celeiro de renomados chefs de cozinha, reconhecidos nacional e internacionalmente, em constante qualificação, renovação, inovação e inspiração.


Acervo Abrasel (Foto: JCM) CRIATIVIDADE E DIVERSIDADE

Mais de 50 Festivais Gastronômicos integram o calendário oficial de eventos da cidade, entre aqueles que enaltecem as raízes da comida mineira e da comida boa dos bares, passando por um circuito que reverencia as panelas mais famosas das vilas, aglomerados e favelas, até festas que reúnem o melhor da culinária de diversos países. Aliás, dos 35 mil estrangeiros residentes em Minas, 70% estão na capital (Polícia Federal, 2017). Da Índia à Itália, eles também contribuem para mesclar a alta gastronomia e a culinária popular, fugindo do óbvio e resultando em uma experiência gastronômica inesquecível.

A criatividade herdada dos tempos coloniais — quando sobrava ouro e faltava comida — resultou em uma identidade gastronômica que valoriza ingredientes típicos e também abre-se a diversas influências, como a indígena, a africana e a europeia. Feijão tropeiro, angu, frango ao molho pardo, queijo, cachaças, doces são apenas o começo de uma viagem que revisita sabores e hábitos.


Acervo Abrasel (Foto: Samuel) CIRCUITOS

É circuito boêmio que você quer? A “Capital Mundial dos Bares”, cidade com o maior número de bares e restaurantes por habitante do Brasil, tem vários. Do tradicional Santa Tereza a bairros como Savassi, Funcionários, Anchieta, Sion, Prado, São Bento, Santo Antônio, São Pedro, Lourdes, Serra e Santa Efigênia, multiplicam-se opções gastronômicas com espírito de vida noturna.

O Centro da cidade firmou-se como roteiro peculiar da gastronomia, graças à revitalização de espaços clássicos no imaginário de Belo Horizonte - como o edifício Maletta, que mistura restaurantes com décadas de história a novas casas de drinks e petiscos que ocupam sua charmosa varanda; cafés, bares e botecos e locais em que se pode experimentar um dos mais conhecidos pratos da gastronomia popular belo-horizontina: o Kaol, sigla que une cachaça (com k), arroz, ovo e linguiça. Com o tempo, a receita clássica foi incrementada e ganhou a companhia da couve, do torresmo, do molho de tomate e da farofa.

Já o “Circuito Sapucaí”, localizado na rua de mesmo nome, apresenta ao visitante desde restaurantes comandados por chefs reconhecidos até opções de balada. A rua tem uma arquitetura singular, que proporciona uma vista deslumbrante do centro da cidade. Prefere sair da região central e sul e conhecer outras partes da cidade que unem comida boa e boemia? Vá para a região da rua Alberto Cintra e da Avenida Fleming, no caminho para a Pampulha; ou explore a Zona Leste, com os novos e velhos botecos, com ar retrô ou tradicional, a exemplo da turma jovem que se aglomera no Bairro Pompéia.


Acervo Abrasel (Foto: JCM)ALMOÇO DE DOMINGO: AQUI É TODO DIA

Prefere curtir o movimento da cidade de dia ou com a família? Pode escolher: clima de fazenda, cantina italiana, bistrô francês, cardápio natural, ambientes cheios de sofisticação e elegância ou ainda estabelecimentos focados em regionalismos. Tudo se encontra aqui em Belo Horizonte para um almoço despretensioso e delicioso. Ou sofisticado e saboroso.

Outras atrações imperdíveis para os amantes da gastronomia são os mercados. O mais famoso é o Mercado Central, que há mais de oito décadas é um dos pontos turísticos obrigatórios da cidade, com mais de 400 lojas e milhares de histórias, sem falar nas iguarias, como o Fígado acebolado com Jiló. Criado em 1929 para centralizar o abastecimento da cidade, ocupa um quarteirão inteiro do centro de Belo Horizonte e no seu interior existe uma mistura de religiosidade, cultura popular, tradição, produtos e pratos deliciosos e de alta qualidade.

O Mercado Distrital do Cruzeiro é mais um espaço que já se estabeleceu como point gastronômico e cultural, com 40 anos de história. Já nos arredores de Belo Horizonte, na vizinha cidade de Nova Lima, novos mercados gastronômicos valorizam o autêntico, o original e os produtos da estação.


Acervo BELOTUR (Foto: Henry Yu)PARA CAIR DE CABEÇA, OU MELHOR, DE BOCA NA EXPERIÊNCIA GASTRONÔMICA

Além de cursos e degustações, outra experiência de relevância é a visita à BeGreen, primeira fazenda urbana da América Latina. O espaço, localizado ao lado de um shopping da cidade, tem como objetivo encurtar as distâncias entre o alimento e o consumidor final. Lá pode-se comprar folhas, hortaliças e outros produtos agroecológicos, além de se visitar as estufas e saborear delícias.

Com mais de 300 eventos que contemplam toda cadeia produtiva gastronômica, do produtor ao consumidor final, do campo diretamente para a cidade, a mesa mineira também desempenha um papel de incentivar a economia, propor uma reflexão sobre o modelo de consumo de alimentos e incentivar uma alimentação com mais qualidade e conhecimento da origem dos produtos e ingredientes.


Acervo BELOTUR (Foto: Henry Yu)TEM CACHAÇA, MAS VOCÊ JÁ PROVOU A CERVEJA?

Já falamos de botecos, bares, restaurantes, mas aposto que você está pensando: uma boa mesa não é feita só de um belo prato. A Região Metropolitana de Belo Horizonte desponta como grande produtora de cerveja artesanal, contando com cervejarias premiadas nacional e internacionalmente. Em 2018, cervejas mineiras conquistaram 40 medalhas no World Beer Awards, um dos mais importantes concursos do mundo, sendo considerado o Oscar da cerveja artesanal.

Quer uma notícia melhor ainda? Vários estabelecimentos abrem as portas para que os fãs da bebida possam conhecer o processo de produção e aprender sobre a variada gama de sabores à disposição. Belo Horizonte é a síntese dos sabores mineiros, traduzida no ato de receber e comer bem, seja em casa, bares, restaurantes, feiras e festivais gastronômicos, ponto de encontro das famílias e dos amigos, que se estende aos turistas e visitantes. Só que é mais: Belo Horizonte respira também a criatividade dos novos sabores e a redescoberta das tradições. A gastronomia da capital é surpreendente.


Nos links abaixo e no menu “Gastronomia”, você pode consultar a lista de bares, cafeterias, cervejarias e restaurantes de Belo Horizonte, além de conhecer mais sobre nossos sabores.

Restaurantes

Bares

Cafeterias

Sabores de BH

Festivais Gastronômicos