Centro Cultural UFMG

É um espaço aberto ao público e aos artistas, com a maioria de suas atividades gratuitas, dedicado à experimentação, ao lazer e a integração entre arte, cultura e ciência. O espaço recebe e desenvolve propostas de oficinas, espetáculos, residências artísticas, exposições, pesquisas, experiências inéditas no campo das artes, seminários, feiras, mostras de cinema, música, poesia, artes visuais, etc. Dispondo atualmente de três salas equipadas para aulas teóricas e três para aulas práticas (no segundo piso), três espaços expositivos (uma galeria no primeiro piso e duas no segundo), três espaços cênicos (um auditório, um pátio, no primeiro piso, e um hall no segundo piso), apresenta-se em sua configuração como plenamente adequado à realização de experiências de integração entre ensino, pesquisa e extensão no campo das diversas artes, e, ainda, de objetivos fundamentais da universidade.


Endereço: Rua Santos Dumont, 174 - Centro
Telefone: 31 3409-8290
31 3409-7290

Site: http://www.ufmg.br/centrocultural
E-mail: comunica@centrocultural.ufmg.br
Horário de Funcionamento: 2ª a 6ª das 10h às 21h, sáb e dom. das 10h às 18h

Informações Adicionais:

Localizado no edifício Alcindo da Silva Vieira, a sede do atual Centro Cultural da UFMG foi o primeiro prédio a ser construído na região do Hipercentro, quando a cidade, ainda em 1906, apenas começava sua história de urbanização.  O sobrado estrategicamente posicionado em frente à Estação Ferroviária foi idealizado pela Comissão Construtora da nova capital para se tornar um grande hotel. O português Antônio Maria Antunes, proprietário do Hotel Antunes, em Ouro Preto, mudou-se para a capital e fez um enorme investimento para construir o novo hotel, mas o projeto não chegou a se concretizar.
 
Ainda em meados de 1906, o Governo de Minas adquiriu a construção em andamento e a transformaou no quartel do 2º Batalhão de Brigada Policial. As obras de adaptação, pintura e acréscimos foram executadas sob a responsabilidade do engenheiro Honório Soares Couto. Desde sua inauguração, em 1906, até 1911, o edifício passou por várias reformas em função das diversas instituições que abrigou, como a Junta Comercial e órgãos do Ministério da Guerra.
 
Em 1911, a força pública se transferiu para Juiz de Fora, e o sobrado passou a ser sede da Escola Livre de Engenharia. Para atender às finalidades da nova ocupação do edifício, tornaram-se necessárias reformas. Novamente o engenheiro responsável foi Honório Soares Couto, juntamente com Emílio Gomes Regata.
 
Em 1926, o sobrado tornou-se parte do patrimônio da recém-fundada Universidade de Minas Gerais (hoje Universidade Federal de Minas Gerais), que ali instala a Escola de Engenharia. O nome do sobrado – Alcindo da Silva Vieira – está ligado a este momento de sua história. Em 1989, foi ali inaugurado o Centro Cultural da UFMG.    
 
 
 
Agendamento de visitas guiadas: 31 3409-8290. Entrada franca.

Javascript is required to view this map.