Pão de Queijo com sabor de sucesso

A receita caseira do pão de queijo de Dona Dalva é comercializada para o mundo inteiro

A receita caseira do pão de queijo de Dona Dalva, hoje, é comercializada para o mundo inteiro.
A receita caseira do pão de queijo de Dona Dalva, hoje, é comercializada para o mundo inteiro.
Na fazenda onde Maria Dalva vivia com o marido e os filhos, a terra e os animais davam à família a provisão necessária. O leite recém tirado da vaca tinha lugar certo na cozinha da mineira de João Pinheiro. Os doces, bolos, broas e, principalmente, os pães de queijo, todos preparados com muito carinho, causavam um verdadeiro fascínio em quem os experimentavam. Com apenas 31 anos ficou viúva e, já morando em BH, administrou uma corretora de imóveis. Um bom tempo se passou até que um dos filhos, Helder, teve a ideia de usar o talento da mãe para iniciar o que seria uma das mais bem conceituadas fábricas de pão de queijo congelado do Brasil. Surgia a Forno de Minas, e a famosa receita de Dona Dalva chegou aos lares de várias famílias de todo o país.

No início, em 1990, a empresa contava apenas com Dona Dalva e seus filhos Helder e Hélida Mendonça. Mas o sucesso do pãozinho mais querido de Minas foi tanto que, em nove anos de funcionamento, a empresa, instalada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, já produzia 1600 toneladas do produto todos os meses e possuía aproximadamente 16 mil clientes. A boa aceitação no mercado teve como principal causa a determinação da matriarca em produzir, em grande escala, o mesmo pão de queijo feito na própria cozinha. “Minha mãe sempre se preocupou em garantir que a receita dela não se alterasse. Ela trabalha todos os dias na fábrica e faz questão de experimentar os pães de queijo”, conta Hélida Mendonça, atualmente diretora de marketing da empresa.

Foi no auge de produção e expansão no mercado que a Forno de Minas foi cobiçada por uma multinacional americana que operava no setor de alimentos em mais de 100 países do mundo. A General Mills fez uma proposta, considerada irrecusável pela família, para comprar a empresa e a marca. O tempo passou e, visando a produtividade, os novos administradores mudaram a receita e o sabor do pão de queijo já não era mais o mesmo. Dez anos depois, o grupo americano decidiu fechar as portas da fábrica e demitir cerca de 500 funcionários. Mesmo com os negócios estabilizados em outros setores, a família Mendonça não quis deixar a história da empresa acabar dessa forma e retomou a administração e a marca Forno de Minas. “Assim que compramos a empresa de volta, decidimos voltar com a receita antiga da minha mãe. O grupo americano praticamente não usava mais o queijo, somente a essência, por isso, aumentamos em seis vezes a quantidade desse ingrediente para produzir o pão de queijo com aquele gostinho de caseiro”, revela Hélida.

veja mais

Belo Horizonte por Hélida Mendonça

Para Hélida Mendonça, filha de Dona Dalva e gerente de marketing da Forno de Minas, não existe lugar melhor para se viver que em Belo Horizonte. Ela conta que já morou em vários lugares, já teve a oportunidade de se mudar, mas não deixa a capital mineira. “BH tem todas as vantagens que uma cidade grande pode oferecer, com restaurantes excelentes e muitas outras coisas, mas tem essa união, essa coisa de cidade de interior, que as pessoas te conhecem, te chamam pelo nome, aqui a gente tem nossas referências e isso é muito legal”, descreve. Entre os pontos preferidos em BH, Hélida recomenda a Igrejinha da Pampulha, a Feira de Artesanato, a Praça do Papa e a Savassi, onde passou a infância.


Receita de Pão de Queijo

Ingredientes
1 prato de queijo curado ralado

1 kg de polvilho doce
8 ovos
2 copos (cada copo de aprox. 200 ml) de leite
1 colher de margarina
1 copo de óleo
2 colheres de chá de sal


Modo de preparo
1. Coloque o Polvilho em uma tigela e misture o sal. Reserve.
2. Ferva o leite com a margarina e o óleo.
3. Adicione a mistura fervente ao polvilho. Misture bem e deixe esfriar.
4. Quando a massa estiver fria, acrescente os ovos gradativamente. Amasse bem.
5. Adicione o queijo e amasse até que a massa fique homogênea.
6. Unte suas mãos com óleo e faça bolinhas. Coloque-as em uma forma e leve ao forno.
7. Sirva o pão de queijo preferencialmente quente.

Uma das garantias de que o pão de queijo da Dona Dalva não vai sair do padrão é a procedência dos ingredientes. O queijo e o leite são fornecidos pela Laticínios Condessa, que também pertence à família Mendonça. Em 2010, um ano após reaver a Forno de Minas, os diretores comemoram a boa aceitação do mercado e o carinho dos consumidores. “Sempre recebemos cartas e e-mails elogiando a nossa volta e dizem que o pão de queijo realmente está gostoso como antigamente. Ficamos muito orgulhosos, porque esse retorno vem exatamente do público mais exigente: o mineiro. BH reúne Minas inteira e, por isso, é um termômetro importante para sabermos como será a recepção aos nossos produtos em todo o Brasil”, avalia a diretora de marketing.

Dona Dalva também não esconde a satisfação de ver a receita praticada há tantos anos no interior do Estado ganhar apreciadores em todo o mundo. “Tenho verdadeira paixão por essa empresa e pela marca que criamos”, afirma. Todo o maquinário da fábrica imita a forma como a matriarca produzia o pãozinho. A “tigela” da produção industrial abriga cerca de 450 quilos de massa. A mistura é feita por braços mecânicos que reproduzem o movimento das mãos. E assim, uma média de 2500 saquinhos de pão de queijo, com 400g cada, é produzida por hora na empresa. Isso sem contar os outros produtos que a Forno de Minas também comercializa, como os tipos light e gourmet, além de folhados, pães de batata, palitos de queijo e outros que, em breve, vão ser lançados no mercado.

leia mais sobre

 

História do Pão de Queijo

Não há muita precisão quanto ao surgimento do pão de queijo. O que se diz é que ele surgiu no século 19, mas só ganhou popularidade em Minas Gerais, em 1860. Nas fazendas mineiras e goianas, as cozinheiras preparavam o... Clique aqui para ler mais sobre.

leia mais sobre

 

História do Pão de Queijo

Não há muita precisão quanto ao surgimento do pão de queijo. O que se diz é que ele surgiu no século 19, mas só ganhou popularidade em Minas Gerais, em 1860. Nas fazendas mineiras e goianas, as cozinheiras preparavam o quitute para servir seus senhores, época em que houve mais oferta de leite, ovos e queijos em função da expansão da pecuária. Naquela época, não se imaginava que o pão de queijo fosse ultrapassar as fronteiras “das Minas Gerais”, muito menos que ganharia o mundo, tornando-se marca de empresas famosas.

A origem do pão de queijo se confunde com a própria origem da culinária mineira, acompanhando a evolução de seus ingredientes. Alguns estudiosos defendem que a goma foi o primeiro item a surgir, originado da mandioca sob a forma do polvilho doce ou azedo. Depois veio a gordura de porco, o sal, o ovo, o leite, a nata, a manteiga e por último o queijo que, aos poucos, se incorporou ao biscoito de goma moldado sob a forma de pequenas bolinhas e, finalmente, assado. Rapidamente, em todo o país, se consumia e apreciava essa iguaria, que se tornou tipicamente mineira. 

A identidade do pão de queijo com o mineiro

Pesquisadores dizem que comida e identidade são universais e que a última coisa da qual um migrante se esquece é a língua e a culinária. Por isso, o pão de queijo se tornou tão presente na memória de quem vem a Minas Gerais. Em qualquer visita auma família mineira, haverá sempre um pãozinho de queijo pronto para ser servido. Hábito que reforça a característica hospitaleira dos mineiros.

A origem desse costume se deu em séculos passados. Houve um período em que havia muito ouro, mas pouca comida. O alimento passou a ser muito valorizado e mesa farta era sinal de status, considerado um elemento de socialização para as famílias abastadas. Com a expansão da pecuária no século 19, as fazendas ficaram fartas de diversos gêneros alimentícios e as famílias sempre faziam estoques justamente para garantir uma mesa abundante no caso de receber algum visitante. Daí teria surgido essa tradição do mineiro de sempre receber muito bem quem é de fora, acolher e oferecer boa comida.

Pão de queijo no mundo

A fama do quitute mineiro correu o planeta e, atualmente, o pão de queijo congelado é exportado até para o Japão, além da América Latina, dos EUA e da Europa. Um produto muito parecido com o pão de queijo é produzido na Colômbia. Tem um formato mais achatado, possui textura esponjosa e também endurece em pouco tempo. É o pan de bono ou pandebono.  Existe ainda outra variação do pãozinho de Minas, mas é só pelo formato que é em “U”. Ele é chamado de chipá no Estado do Mato Grosso e muito comum na província de Missiones, na Argentina, e também no Paraguai.