A terceira rede de supermercados mais próspera de Minas

A Rede de Supermercados BH conta com 110 lojas e oito mil colaboradores

Pedro Lourenço, sócio-diretor da Rede de Supermercados BH.
Pedro Lourenço, sócio-diretor da Rede de Supermercados BH.
Pedro era apenas um jovem de 18 anos quando deixou a pequena cidade de Paineiras, região centro-oeste do Estado, para tentar uma vida melhor na capital mineira. Com formação escolar precária, encontrou dificuldades para arrumar um emprego. As primeiras ocupações foram como carregador, peixeiro, conferente, encarregado de estoque. Com muita dedicação e esforço, chegou ao posto de gerente de supermercado e, finalmente, abriu a própria empresa em 1996. Em apenas 14 anos, Pedro Lourenço de Oliveira, tornou-se um dos maiores empreendedores de Minas Gerais, com 110 supermercados. O nome da empresa é uma homenagem à cidade que lhe ofereceu condições para realizar seu grande sonho: os Supermercados BH.

Embora muitos empresários do setor discordem, o fundador do Supermercados BH não atribui o sucesso profissional a uma questão de sorte. Pedro acredita que a visão de mercado, adquirida durante os anos que trabalhou vendendo café e em uma empresa atacadista, foi determinante para fazer o negócio prosperar. “Quando grandes grupos, como o Carrefour, compraram diversos supermercados na região, as classes C e D foram deixadas de lado. Foi aí que eu entrei com as minhas lojas voltadas para esses consumidores. Fui muito criticado e muitas pessoas me falaram que não ia dar certo. No entanto, quando eles se assustaram, eu já tinha 50 lojas”, comemora.

O primeiro estabelecimento foi aberto em Santa Luzia, Região Metropolitana de Belo Horizonte. No supermercado, de 300 metros quadrados, havia apenas 12 empregados e três caixas registradoras. Naquela época, era quase impossível vislumbrar o império no qual o empreendimento se tornaria. Em 2010, o grupo fechou o ano com 110 lojas, 99 delas na Grande BH e em municípios vizinhos, além de outras 11 em cidades do interior. O quadro total de funcionários é de aproximadamente 8 mil. “As críticas continuam, falam que o Supermercados BH é de pobre.Tem gente que pensa que vai me atingir com isso, muito pelo contrário, eu gosto muito de trabalhar com consumidores mais populares, embora nossas lojas estejam abertas para atender a todas as classes sociais”, afirma.

Administrador Nato

Na função de sócio-diretor da empresa, Pedro se dedica integralmente ao seu negócio. “Sou do tipo que chega cedo para trabalhar e sai tarde da empresa. Praticamente tudo o que acontece aqui passa pelas minhas mãos. Eu compro de fornecedores, coloco preço nas lojas, sei o que a concorrência está vendendo e acompanho tudo de perto. Isso me dá a vantagem de tomar decisões mais rápidas. Diferente de muitas empresas que tudo passa por muitos executivos. Eu saio na frente nesse sentido”.

Em 2010, quando muitos empreendimentos ainda se recuperavam da crise econômica que abalou o mercado mundial dois anos antes, a rede de Supermercados BH bateu recorde na abertura de lojas, com 17 novos pontos de venda. “A crise só existe para quem acredita nela. Eu só acredito no trabalho focado, com responsabilidade, sem prejudicar ninguém e pagando rigorosamente fornecedores e funcionários”, indica o empresário.

Com diploma apenas do ensino fundamental, Pedro fez questão de garantir para os filhos a escolaridade que não teve e a oportunidade de “crescer na vida”. Dois deles se formaram em Administração de Empresas e estão engajados na rotina da empresa. “Eles me respeitam muito pelo que construí até hoje, pedem conselho e aprendem um pouco com a minha experiência. Mas eles estão bem à frente por causa dos estudos e isso me dá tranquilidade para que eles sejam meus sucessores no futuro”.

Apesar de ter conquistado uma parte expressiva do mercado varejista, o empresário não perdeu a característica mais marcante do mineiro: a discrição. Pedro prefere manter distância de colunas sociais e, raramente, frequenta eventos realizados pela alta sociedade. “Durante os finais de semana, eu gosto de estar com a minha família, na maioria das vezes, descansando na fazenda”, revela. Filho de lavrador, Pedro aprecia a simplicidade da vida no campo e parece conectar-se a ela sempre que possível.

Belo Horizonte
A escolha do nome da empresa já revela a relação de carinho que Pedro Lourenço mantém com a capital mineira. O paineirense homenageia cidade por admirar as belezas naturais e o clima aconchegante que ela oferece. Morador do bairro São Luís, ele apresenta os atrativos turísticos da região da Pampulha, como a Igrejinha de São Francisco, sempre que alguém conhecido visita Belo Horizonte. Recomenda também passeios no Mercado Central, na Praça do Papa e da Liberdade, no Parque Municipal e, depois que terminar a reforma para a Copa de 2014, no Mineirão, local preferido do empresário.