27ª Superminas terá ainda mais foco em negócios e qualificação profissional

Quarta-feira, 25 Setembro, 2013

por: Assessoria de Comunicação

A 27ª Superminas Food Show será realizada nos dias 22 a 24 de outubro de 2013, no Expominas, em Belo Horizonte, e trará mais uma ação com foco nos negócios. As diretorias do Sindicato e Associação Mineira da Indústria da Panificação (Amipão) e da Associação Mineira de Supermercados (AMIS), organizadores do evento, decidiram restringir mais o público participante para abrigar, prioritariamente, aqueles que vão ao congresso com o intuito melhorar a qualificação profissional e de fazer negócios.
 
Com isso, a Superminas terá um público estimado de 55 mil pessoas, frente aos 58 mil na Superminas de 2012.   O evento tem o apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e daEmpresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur). Esta como apoiadora institucional.
 
A área de exposição está maior: são 25 mil metros quadrados frente aos 23 mil no ano anterior. O número de expositores/patrocinadores é de cerca de 400.  Vinte a mais do que os 380 presentes em 2012. 
 
Em 2012, a Superminas movimentou R$ 1,2 bilhão e nesta, em 2013, são estimados R$ 1,3 bilhão em negócios durante o evento e a partir dele. É que a maior parte dos negócios é prospectada durante a feira, mas concluída ao longo do ano.
 
O número de cidades mineiras com representantes na 26ª Superminas foi de 550, o que deve passar para 620 em 2013. O objetivo é aumentar também o número de participantes de outros estados. Em 2012, empresários de 26 unidades da Federação participaram e neste ano os organizadores pretendem contar com empresários de todos os estados e do Distrito Federal. Os países com representantes para fazer negócios na Superminas deverão passar de 12 no último evento, para 20 países neste ano. 
 
Mais completo - Com todos esses números, a 27ª Superminas Food Show 2013 vai continuar como o segundo maior evento supermercadista e panificador do País.  O congresso é também o mais completo do varejo alimentício no Brasil, com setores de serviços, panificação, bebidas e de hortifrutigranjeiros.
 
A feira é dividida em dois grandes espaços: o “Pavilhão Azul” e o Pavilhão Vermelho. No primeiro, são concentradas as empresas do segmento alimentício, enquanto o segundo abriga empresas do setor de serviços. Além da segmentação em pavilhões, há uma subdivisão em “ilhas” para facilitar a localização dos fornecedores. Nessas ilhas, estão setores como vinho e queiro, orgânicos, flores, hortifrutigranjeiros e ilha destinada à cachaça, um produto símbolo de Minas.
 
Conhecimento - O que aumentou também foi o número de palestras. Em 2012, foram ministradas 41, número que passa para 45 em 2013. Essas são as atrações de qualificação profissional que fazem parte da programação oficial do evento, no espaço intitulado “Núcleo do Conhecimento” do evento.  O objetivo é oferecer mais treinamento e atualização aos colaboradores e empresários. Além dessa grade de palestras, várias outras e minicursos são ministrados por expositores. 
 
Novidades
 
Novidade: Super Fashion: Uma das grandes novidades na Superminas neste ano é o “Super Fashion”, um espaço no Pavilhão Vermelho, destinado ao segmento de vestuário, com participação de 20 empresas regionais. Esse projeto é uma parceria da AMIS, Amipão e do Sebrae.   A abertura vai contar com um desfile de modas e terá ainda uma palestra mostrando cases de sucesso envolvendo supermercados e indústrias da moda. 
 
Padaria-conceito: essa é outra novidade na 27ª Superminas. Como o apoio do Sebrae-MG, será disponibilizada, no Pavilhão Azul, próximo aos auditórios, uma padaria-conceito para atualização sobre as tendência do mercado. Interessados podem aprender sobre leiaute, mix e tudo que a padaria demanda na atualidade.  A visitação é aberta a todos os panificadores e supermercadistas que vão contar também com profissionais credenciados para o atendimento. 
 
Números - Juntos, os setores supermercadista e panificador de Minas Gerais têm 20,8 mil lojas, sendo 14 mil padarias e 6,8 mil supermercados. São 268 mil postos de trabalho gerados. Desses, 148 mil pelos supermercados e 120 mil pelos panificadores. 
 
Os setores são ainda dois dos maiores empregadores de mão de obra de primeiro emprego entre todos os setores da economia. Em torno de 65% do quadro de empregados são compostos por pessoas que tiveram nesses estabelecimentos sua primeira oportunidade formal de trabalho.