Belotur e Bombeiros se reúnem com blocos do Carnaval de Belo Horizonte

tags

Terça-feira, 2 Outubro, 2018

por: Ascom

Cerca de 80 blocos de rua participaram da reunião

A Belotur e o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais realizaram uma reunião com os blocos de rua do Carnaval de Belo Horizonte na noite desta segunda-feira (1º/10) para tratar exclusivamente da Instrução Técnica 39 (IT-39), que normatiza as manifestações culturais espontâneas, como os blocos de rua da capital mineira se enquadram. Diferenças entre o que é manifestação cultural e o que é evento, ocorrências, regularização e recomendações para trios elétricos, veículos de apoio e similares foram abordados na reunião, que faz parte do planejamento do Carnaval de Belo Horizonte 2019.

O objetivo foi apresentar aos representantes de blocos de rua as considerações de segurança para concentrações, deslocamentos e dispersões dos foliões em vias públicas. De acordo com o tenente Enock Gonçalves do Nascimento, da Adjuntoria de Prevenção do 1º Comando Operacional de Bombeiros, o esclarecimento dessas dúvidas e a transparência do bloco de rua com o poder público e as entidades envolvidas ajuda a minimizar riscos, tornando a festa mais confortável e segura.

“Para os blocos de rua considerados manifestações culturais espontâneas aplica-se a IT-39 desde que não haja delimitação por barreiras que impeçam o trânsito livre das pessoas, não haja previsão de público sobre estruturas provisórias, como arquibancadas, camarotes e similares, não haja estruturas provisórias para comercialização, como barracas e tendas, não haja espetáculo pirotécnico ou utilização de brinquedos mecânicos e, por fim, não haja palcos e separação de públicos mediante venda de ingressos e abadás,”, explica o tenente Enock.

Para acessar o conteúdo completo da IT-39, clique aqui: https://goo.gl/Mcpujn

Planejamento do Carnaval de Belo Horizonte
A Belotur tem antecipado o trabalho de planejamento do Carnaval de Belo Horizonte 2019. “Trabalhamos ao longo de todo o ano para o Carnaval, mas podemos dizer que neste ano adiantamos este planejamento estratégico cerca de quatro meses e já estamos em contato direto com os blocos de rua para desde o início do segundo semestre. Todo os nossos esforços significam mais segurança, melhorias nas estruturas, o que propicia novas e melhores experiências para os foliões”, comenta Aluizer Malab, presidente da Belotur.

Essa é a segunda reunião geral com blocos de rua do Carnaval de Belo Horizonte organizada pela Belotur neste ano. A primeira aconteceu em 20 de agosto, quando a Belotur apresentou aos representantes dos blocos de rua o Planejamento do Carnaval de Belo Horizonte 2019.

O edital de patrocínio do Carnaval de Belo Horizonte, publicado no sábado (29/9), também evidencia mais tempo de planejamento para as festividades. Uma das novidades deste edital é o fato de que a empresa que vencê-lo terá o direito de patrocinar o Carnaval de Belo Horizonte nos dois próximos anos, ou seja 2019 e 2020. De acordo com Malab, a parceria a ser estabelecida pelo período bienal possibilita a intensificação e aprimoramento da realização do carnaval, além de facilitar a atração de investimentos.

Outro fator importante é o incentivo ao dinamismo, ao fluxo de trabalho e ao enriquecimento do evento, com novas propostas e modelos de trabalho. “A continuidade dessa parceria por dois anos permite, ainda, que o patrocinador adquira expertise específica sobre o evento em si, potencializando sua entrega ao poder público e corroborando com os objetivos e planejamento do projeto”, comenta Malab.

O Carnaval de Belo Horizonte
O Carnaval de Belo Horizonte se consolidou como uma das maiores festas do país, atraindo turistas do Brasil e do mundo e alcançando uma significativa retenção de moradores da cidade. Na edição de 2018, cerca de 4 milhões de pessoas circularam nas ruas da cidade, espalhadas em mais de 500 atrações, entre blocos, palcos oficiais, festas e desfiles.  Houve ocupação recorde na rede hoteleira no período – 57% no geral, sendo quase 77% na região centro-sul – e a movimentação financeira no município alcançou a cifra de R$ 641 milhões. O crescente interesse de artistas de renome nacional em participar da festa, por exemplo, traça um pequeno retrato do potencial que a folia representa na capital.

Sua organização espontânea e prioritariamente de rua é um de seus principais atrativos, bem como a sua essência democrática e plural. Além dos famosos blocos de rua, a festa da capital mineira conta ainda com palcos espalhados em diversas regionais da cidade, os desfiles das escolas de Samba e Blocos Caricatos, além da abertura oficial com o Kandandu, o encontro de blocos afro, e a Eleição da Corte Momesca.