Diretor da OMT visita a Belotur

Terça-feira, 3 Janeiro, 2012

Equipe da Belotur

 

No dia 02 de janeiro, a Belotur recebeu a visita do Diretor Executivo da Organização Mundial do Turismo (OMT), Márcio Favilla. Mineiro de Belo Horizonte e primeiro brasileiro a integrar a Organização, Márcio Favilla é graduado pela Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG com mestrado pelo Instituto de Estudos Sociais de Haia (Holanda).

Sediada em Madrid, na Espanha, a OMT é a agência intergovernamental das Nações Unidas responsável por estabelecer normas técnicas que auxiliam o processo de acompanhamento do setor, atuando como fórum global para questões de políticas do turismo e como fonte de conhecimento prático sobre o setor.

Durante o encontro, na sede da Belotur, Márcio Favilla foi recebido pelo Presidente da empresa, Fernando Rios, pelo Diretor de Marketing, Arthur Vianna, de Desenvolvimento de Novos Negócios, Gelton Pinto Coelho Filho, e demais funcionários. “É uma honra ter um brasileiro, mineiro e belo-horizontino representando nosso país como um dos três Diretores Executivos da nova gestão da OMT. Essa conquista é muito importante para o melhor desenvolvimento do turismo no Brasil”, disse o Presidente da Belotur.

Márcio debateu sobre as tendências e perspectivas do turismo mundial, apresentando números e informações que demonstram o protagonismo do Brasil e dos brasileiros neste setor responsável por movimentar a economia de diversos países, gerando renda e reforçando o intercâmbio cultural entre nações.

Para demonstrar o crescimento do turismo, o Diretor da OMT frisou que em 1950 foram registrados 25 milhões de desembarques internacionais em todo o mundo. Em 2011 este número alcançou 985 milhões com a perspectiva de atingir 1 bilhão em 2012. “São números significativos que reforçam a importância do setor para a economia global. Em 2020 a OMT prevê o registro de 1,4 bilhão de desembarques internacionais em todo o mundo”, informou.

Favilla chamou a atenção para o fato de o turismo ser um dos poucos setores que detêm um histórico de crescimento contínuo nos últimos 60 anos: “Com exceção de 2002, após os atentados ao Word Trade Center nos EUA, e 2009, durante o auge da crise econômica mundial, o turismo registra crescimentos significativos a cada ano”.

 

Turismo doméstico supera o internacional

Durante o encontro, Favilla lembrou que o turismo doméstico - cujo viajante não atravessa nenhuma fronteira para chegar ao seu destino – é superior, em números, ao turismo internacional. “Dados da OMT mostram que no Brasil, 74% das viagens turísticas são domésticas e apenas 26% tem como destino outro país. Dos integrantes do G20, grupo das 20 maiores economias do mundo, 17 países têm a mesma característica”.

Segundo o Diretor, este é um dado positivo que demonstra a importância do turismo doméstico para movimentar a cadeia produtiva do setor: “O crescimento econômico registrado no Brasil nos últimos anos e a conseqüente inserção de novos consumidores no mercado, movimentam a economia local gerando emprego e renda para os profissionais envolvidos neste importante segmento econômico”.

 

Países vizinhos: parceiros preferenciais

Para ampliar a presença de turistas estrangeiros no Brasil, Márcio Favilla destaca a importância de se implementar estratégias de longo prazo e reforçar a cooperação com os países vizinhos. “Análises da OMT mostram que os principais emissores de turistas são os países vizinhos que fornecem, em média, 70% dos visitantes de um país da mesma região. O aumento do fluxo de turistas na América Latina demonstra que estamos em um momento propício para investir no turista estrangeiro. Deve haver um trabalho sistemático para cativar este turista vizinho. É uma estratégia que demanda menos esforço mercadológico, é mais barata e mais eficaz.”, alertou.

A participação dos países emergentes no turismo internacional é cada vez maior. Em 1980, apenas 30% das chegadas internacionais eram provenientes dos países em desenvolvimento. Em 2014 esta linha irá se cruzar, invertendo a participação desses países no turismo internacional.

Neste processo de aumento da participação dos países emergentes no turismo mundial,um ator se destaca: o turista brasileiro. Somos cada vez mais cobiçados pelos países que investem no turismo. De acordo com a OMT, em 2010 os brasileiros foram os turistas que mais gastaram em viagens internacionais, com um aumento de 59% no volume gasto em comparação com o ano anterior. “Nos próximos dias o Banco Central divulga a estatística de 2011, demonstrando que houve um aumento de aproximadamente 46% em relação a 2010, ano em que os turistas brasileiros gastaram 16,2 bilhões de dólares no exterior. Em 2011, foram cerca de 22 bilhões”, adiantou Márcio Favilla durante o encontro na Belotur.

 

Copa do Mundo 2014: gerando renda e qualificando mão de obra.

A realização da Copa do Mundo de Futebol no Brasil, em 2014, é uma grande oportunidade para mobilizar o poder público, a iniciativa privada e todos os agentes envolvidos no turismo brasileiro para capacitar jovens interessados em se profissionalizar neste segmento profissional. “O treinamento e a formação de mão de obra qualificada para receber o grande volume de turistas que virão ao Brasil durante a Copa do Mundo são iniciativas estratégicas que irão render frutos a médio e longo prazo”, defende Favilla.

Para viabilizar o processo de capacitação, o Diretor da OMT propõe uma parceria com o Programa Voluntários da OMT. Iniciado em 2006 e já implantado em países da América Latina, o programa conta com a assessoria de profissionais de diversos países, promovendo o turismo como instrumento de desenvolvimento por meio da educação e qualificação de mão de obra.

“A Copa do Mundo nos oferece a oportunidade de desenvolver um importante trabalho de capacitação de jovens, contribuindo para inseri-los no mercado de trabalho e reforçando nosso contingente de profissionais no turismo de lazer’, propõe Marcelo Favilla.