Iemanjá será homenageada na Lagoa da Pampulha

tags

Quinta-feira, 2 Fevereiro, 2017

por: Assessoria de Comunicação

Cortejo com manifestações religiosas afro-brasileiras levará a alegria dos terreiros à orla. Boneco confeccionado pelo Grupo Giramundo será uma das atrações

Em uma demonstração de fé e resistência da cultura afro-brasileira, o 4º Presente Ecológico do Afoxé Bandarerê, que tem apoio da Belotur, vai saudar Iemanjá, a Rainha dos Mares. Um cortejo acontecerá no domingo (5/2), na Lagoa da Pampulha, recém-intitulada Patrimônio Cultural da Humanidade, em frente ao monumento da divindade.

 

A manifestação reverencia a pluralidade cultural, a festividade dos rituais de Candomblé e de Umbanda e o resgate das raízes dos terreiros. Além da tradicional celebração dos sacerdotes e do cortejo do Afoxé Bandarerê, haverá apresentações dos blocos Baianas Ozadas e Angola Janga.

 

Ao cair do sol, as oferendas ao Orixá feminino serão colocadas nas águas da lagoa Pampulha, por meio de um balaio produzido com arranjos de flores e papel reciclável, que não impactam o meio ambiente. Representada sob a forma de uma sereia, Iemanjá, conhecida também como Dona Janaína e unificada com a Iara, a sereia do Amazonas, tem sincretismo religioso com as Santas Católicas Nossa senhora dos Navegantes, Nossa senhora da Glória e Nossa Senhora da Conceição. Ela é a mais celebrada dos orixás e também a santa mais popular do Brasil.

 

Em homenagem ao Afoxé Bandarerê, um boneco do Grupo Giramundo, inspirado em Oxossi, vai desfilar durante o cortejo. O orixá é símbolo do bloco no Carnaval 2017. “Fiquei encantada com a energia e a força dos ensaios do Afoxé Bandarerê. A partir daí nasceu a ideia de confeccionar um boneco de vara representando o orixá masculino, símbolo da caça, da fartura e do trabalho”, afirma Beatriz Apocalypse, uma das diretoras do grupo.

 

Márcio Eustáquio de Souza, assessor de Eventos da Belotur e presidente do movimento da Cultura Afro de Belo Horizonte, explica que manifestação em homenagem à Iemanjá na Lagoa da Pampulha é fruto de anos de luta pelo reconhecimento da comunidade local.

 

“Desde a criação do nosso afoxé, em dezembro de 2013, fazemos a festa em fevereiro, como manda a tradição afro-brasileira. Este ato quebra preconceitos religiosos e racistas, conquista cada vez mais a integração entre os membros de religiões de matriz africana e promove a igualdade racial dentro do Carnaval de BH, a festa mais popular da cidade”, relata Márcio, mais conhecido como Tata.

 

 

SERVIÇO: 

4º Presente para Iemanjá

Domingo, 5/2, a partir das 17h 

Orla Lagoa da Pampulha (Avenida Otacílio Negrão de Lima, em frente ao monumento de Iemanjá)

 

Programação:

17h – Concentração

18h – Celebração do presente com os sacerdotes 

19h – Apresentação do Bloco Baianas Ozadas

20h – Apresentação do Bloco Angola Janga

21h – Apresentação do Afoxé Bandarerê 

 

Foto: Click Estúdio Profissional