Projetos selecionados pelo Hackatur passam por aceleração

Quinta-feira, 30 Agosto, 2018

por: ASCOM

Idealizado pela Belotur, Sebrae-MG e Ampro, com parceria da BH Airport, Hackatur oferece capacitação para startups adequarem projetos para a grande final

Sebrae-MG/Divulgação

O Hackatur - Desafio de Inovação no Turismo continua a todo vapor. Os cinco projetos finalistas, que propuseram soluções para o turismo de Belo Horizonte, por meio dos desafios lançados pela Ampro e pela BH Airport (concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte), passam agora pela fase de ‘aceleração’, ou seja, momento de capacitação conduzido por mentorias, workshops e rodas de conversas com o mercado. 

“Esta etapa, a qual chamamos de ‘entendimento’, tem o objetivo de aprofundar e detalhar tanto os desafios apresentados quanto os projetos concorrentes. Um destaque importante desta fase é a proximidade entre a BH Airport e Ampro dos empreendedores, que acontece por meio de rodas de conversas horizontais. Dúvidas, certezas e suposições são expostas e as chances de evolução do projeto aumentam”, comenta Tarcísio Lima, consultor da Design Thinkers Group, que está mediando o Hackatur. 

De acordo com ele, a partir de um mapeamento dos públicos, o Hackatur entrará em uma nova etapa, chamada de ‘empatia’. Os empreendedores vão a campo para relacionamento com esses públicos. “É um momento de interação, de conversas e também de observação. Os empreendedores precisam ter mais intimidade com fornecedores, clientes, turistas, viajantes que, futuramente, vão ser beneficiados com as soluções e serviços propostos”, afirma Lima.

"O Hackatur impulsiona e propaga cada vez mais o conceito de destino turístico inteligente e modernização do turismo, criando novas experiências para os visitantes de Belo Horizonte. A Ampro e a BH Airport estão totalmente abertas à inovação, o que é fundamental, pois são instituições com alta capacidade de transformação. O processo de aceleração conta com metodologias modernas e facilitadores competentes para guiar a capacitação dos empreendedores", relata Armando Júnior, CEO da Hi Position, uma das startups finalistas. 

Os workshops com a participação das startups, BH Airport, AMPRO, acompanhamento da Belotur, Sebrae-MG e mediação da Design Thinkers Group serão realizados a cada 15 dias até o dia 30 de outubro, quando as duas propostas vencedoras serão conhecidas. 

“A proposta é de continuidade do Hackatur em 2019. Queremos ampliar as nossas parcerias para aumentar ainda mais a conectividade entre o diverso ecossistema de startups belo-horizontinas e o mercado, buscando soluções criativas e colaborativas para alavancar e diversificar o setor de turismo e a da cadeia produtiva da capital mineira”, pontua Marcos Boffa, diretor de Políticas de Turismo e Inovação da Belotur. 

Conheça os projetos finalistas:

JMM Tech

Ernani Jardim, CEO da JMM Tech, apresentou como solução para o desafio da BH Airport o AIRPP-BH, que pode funcionar como tótens digitais espalhados pelo Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, ou também como aplicativo. Com essa tecnologia, o passageiro que se encontra no aeroporto terá todas as informações sobre localização, alterações de horários de voos e de acesso aos terminais, as várias opções de transporte do aeroporto para Belo Horizonte e serviços como lojas, restaurantes e casas de câmbio, por exemplo. 

Para a Ampro, Ernani criou o Inlive, um aplicativo que, conectado ao wifi do evento (festivais, feiras, congressos, convenções etc.), permite ao visitante a localização georreferenciada de todos os serviços oferecidos, estandes, praças de alimentação, palcos, banheiros entre outros. Ao mesmo tempo, o Inlive informa ao produtor qual foi o trajeto do participante no evento, o que ele visitou, seu tempo de permanência no evento entre outras informações importantes para mensurar, com detalhes, a experiência do cliente.

Explora

O app Explora, idealizado pelos sócios Amir Khatibi e Arthur Meyer Paixão Meyer, foi apresentado para o desafio da AMPRO. O objetivo é oferecer uma solução para o viajante de ponta a ponta e de maneira personalizada. Dessa forma, o usuário pode planejar sua viagem, com compra de passagens e reserva de hotéis, criar um roteiro de atrações de acordo com seu perfil e, por fim, avaliar a experiência que teve na cidade. Isso tudo em um só aplicativo. 

Traveller

O Traveller é um aplicativo que pretende incentivar o envolvimento do turista com os atrativos e passeios da cidade visitada por meio de gameficação. Projeto da dupla Guilherme Frade da Silva e Alexandre Guimarães Nicolau, o app ainda está em fase de desenvolvimento, e foi apresentado no Hackatur como solução para a AMPRO. A ideia é que o usuário interaja com o local visitado como se estivesse em um jogo. Nos roteiros propostos, ele poderá desvendar charadas e receber informações sobre os atrativos. Os pontos ganhos são transformados em benefícios para o viajante em estabelecimentos parceiros do app. 

Hi Position

O projeto Hi Position, dos sócios Armando Junior e Glauber Dias, foi apresentado para o desafio da AMPRO e consiste na implantação de dispositivos de comunicação micro localizados em alguns atrativos turísticos da cidade. O objetivo é trazer praticidade para o visitante, que receberá, por meio de um aplicativo, informações sobre o local, obras de arte, atrativos turísticos e pontos relevantes na cidade. Ele poderá, também, fazer o pagamento das entradas de forma direta e digital, além de comprar passagens de ônibus, fazer reservas em hotéis, alugar um carro e escolher seus eventos favoritos.

Made in BH 

Felipe Martins e Guilherme Pertence, da Made in BH, apresentaram uma solução para o desafio proposto pela BH Airport. A ideia é construir um espaço físico que funcionaria como uma central de experiências da cultura de Belo Horizonte e região. O projeto visa transformar as chegadas e partidas do aeroporto numa experiência marcante e única com um jeito de receber que só o mineiro sabe fazer. A estrutura seria sensorial, que gere essa experiência no viajante. Apresentar um pouco de BH e grande Bh e minas, as riquezas, dentro desse espaço. Venda de produtos. A ideia que ele passe por um lugar, uma espécie de museu, e conheça melhor nossa história. 

 

Sobre o HACKATUR: 

O HACKATUR funciona no formato de desafio - modelo amplamente usado atualmente e também conhecido sob as nomenclaturas de hackatons e ideathons – para o segmento das empresas iniciantes, ou startups, com o foco na cadeia produtiva do turismo. Na disputa serão realizados dois desafios simultaneamente: os participantes deverão criar soluções para problemas apresentados pela BH Airport ou pela AMPRO. Esses desafios serão trabalhados pelas equipes selecionadas para que soluções sejam desenvolvidas ao longo do programa.

O objetivo do HACKATUR é gerar novos modelos de negócios vinculados à cadeia produtiva do turismo e atividades associadas e promover interação, integração e aprendizado aos participantes envolvidos.

 

fuTURISMO:

O HACKATUR integra o recém-lançado programa fuTURISMO, que busca reunir as melhores práticas e experiências bem sucedidas e inovadoras no turismo no cenário nacional e internacional. Essa pesquisa permitiu conhecer a iniciativa francesa “Welcome City Lab” - primeira e singular plataforma de inovação dedicada ao setor de turismo urbano, que integra a primeira incubadora de startups do turismo do mundo.